E comigo os poemas do avesso


Eram já velhas as saudades
Do espaço
Do bafo do teu corpo
Da arcada do teu braço
Eram já torpes as lembranças
Do bem que me fazes
Do frio que trazes
Do enrolar das tuas tranças
Eram já poucas as horas
Para pensar no meu regresso
No meu papel reimpresso
Neste livro onde moras

Cheguei
Regressei
E comigo as lembranças

As horas
Os livros

E comigo os poemas do avesso
Foto: #76 - Karomat (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal