MENINO OUTRA VEZ



Voltava agora a ser menino outra vez
A olhar o pôr-do-sol naquela charneca dourada
Voltava agora a ser menino outra vez
Só para não pensar na dor de mais uma alvorada
Amanheço…
Entardeço…
Anoiteço…
Voltava agora a ser menino outra vez
Não é muito o que peço
Voltava agora a ser menino outra vez
Só para não sofrer esta dor que habita em nós
Só para não ter que ouvir ao longe
A melodia da tua voz
Amanheço…
Entardeço…
Anoiteço…
Voltava agora a ser menino outra vez
É apenas o que mereço
Num ritmo circadiano de absurdez
Nesta eterna infância sem maldade
Amanheço…
Entardeço…
Anoiteço…
Finto veloz a idade
Para voltar a ser agora menino outra vez
E desfrutar de um amor volátil
Na minha pura ingenuidade
Amanheço…

Foto: Nas asas da brincadeira - Daniel Oliveira (olhares.aeiou.pt)
2 comentários

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal