LÁ, NO SÍTIO DAS PROMESSAS




Lá, nas sombras de um Sol
Traiçoeiro até mais não
Soltas o teu breve suspiro
Não sabes se rir ou chorar
Lá, atrás daquela árvore escondida
Num silêncio de encantar
Onde o musgo cresce sem nexo
Em todos os lados do tronco
E a sua sombra não é a sua sombra
Mas apenas o seu reflexo
Lá, onde vives a minha lembrança
Das palavras que te encantam
Pagarás minha fiança
Que me ajudará a libertar
Lá, nos poemas que escrevo
Neste sítio feito palavra de vida
Tocarei a música dos meus poemas
Numa canção prometida.


2 comentários

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal