LÁGRIMAS SILENCIOSAS


Silêncios aterradores cor de prata
Abrem túneis nos meus pensamentos
As que foram, no passado, grandes ideias
São agora delírios dos momentos

Palavras desconcertantes caem da minha mente
Em passos apressados reflexos de escuridade
Um sossego perturbador chama-me
Lutam em mim a mentira e a verdade

Escorrem pela minha face rasgada
Gotas de água deliciosas
Do meu interior, brotam, olhando para fora
Gritos de lágrimas silenciosas.

Foto: Ponto de exclamação - Mariah (olhares.aeiou.pt)
1 comentário

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal