...

prega-me um susto
que eu gosto
de não me fartar das coisas
que são reais
que eu com tão pouca
ao meu barco
no meu cais
não trago a sorte
nem a vida
nem a morte
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal