Há apenas uma imensidão de lagos transparentes




Entre querer e poder
Há apenas uma imensidão de lagos transparentes
De silêncios e verdades
De hesitações 
Entre querer e poder há um tempo
Que se fechou em armários
Entre fotografias e verdades
Entre querer e poder há uma lei
Inexorável
A lei do tempo
De papéis velhos sem cores nem rei
Dos restos do momento
Entre querer e poder 
Há uma imensidão de lagos transparentes
E um lamento

Foto: João Carvalho (A caminho de Fátima, Setembro de 2011)
Enviar um comentário