A jaula

Foto: Raul Cordeiro

Linho nos ombros
Corpo em escombros
Feitiço nos olhos
Perto de um tombo
No quarto despido
Paredes vazias
Brancas anémicas
Disfarça a parede
Um roto biombo
É a alma que me olha
Esfarrapada
Parte sua
Num corpo de carne enjaulada
1 comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal