É ser boca dos animais


Foto: Carla Cordeiro
Escrever 
Deixar escrito
É deixar para outro dia a morte
Dos versos
E dos inversos
É ser boca dos animais
E quando preciso
Das árvores sorriso
Escrever é egoísta
Uma escrita
Quer ser adorada
Não desiste de habitar
Tudo e nada
Uma escrita não envelhece
Apenas esmorece
Quando passam dias
E dias e dias
Que ninguém lê
Um poema não fica velho
Porque ser velho
É não poder recuperar um dia perdido
E um poema escrito
Poderá ser
Sempre lido
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal