UMA PESSOA

Apalpo as minhas ideias
Com medo
Às vezes perigosamente mais rápidas que elas próprias
Rápidas e severas
Em segredo
Como um peixe em movimento
Picantes como garfos do cérebro
Sossegadas
Como cadeiras de relaxamento sem baloiço
Às vezes as minhas ideias riem alto de quem é dono delas
Tecem-se no escuro
E parecem fluir como gente
Intransigente
Gosto de uvas maduras e odeio gatos
Como poemas dissolvidos
Sem factos
Odeio facas levantadas sem carne à vista
E cebolas
E crimes sem pista
Não gosto de coisas sem nome
Devasto malmequeres e rosas de espinho
Uma pessoa
Um movimento
Um caminho

Enviar um comentário