Vácuo

Foto: Raul Cordeiro

É de lá
Do alto longe do infinito
Que no vácuo
Oiço o teu grito
É no mesmo ângulo
Com que os teus lábios
Cantam as palavras
Que dobro o nevoeiro
Em movimentos sábios
Nada eu vejo
Para lá
Da tua paisagem
Nada invento
Nada sinto
Nada lamento
3 comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal