Num segundo

Foto: Raul Cordeiro


Existe uma dimensão absoluta
Em tudo o que é perfeito
Um centímetro a mais ou menos
Na medida mais exata
De tudo o que é puro, sem defeito
Se um mundo qualquer
Coubesse no meu bolso
Na medida mais exata
Sem transbordar
Mesmo à medida
Sem queda ou catarata
Seria esse o tamanho certo do mundo
Que eu podia tirar do bolso
E viver
Num segundo
2 comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal