s/t

Agora que a meu favor tenho o vento
Não colho tempestades
Nem aparo veleidades
Há tapetes que se estendem
E se puxam quando as mentiras
Suplantam as verdades

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal