Medidas dos dias

Foto: Raul Cordeiro


Voltam os poemas ao meu chão
De forma fixa e ladrilhada
Como uma figura geométrica
Que mede os dias
De nunca acabar
É neles que afago o ego
Que olho as estrelas
Que me afago e aconchego
São só palavras, eu sei
Entretenga da alma
Mas são eles os meus dias
Da minha mente
A calma
Os esquemas
Os meus poemas

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal