No rasto de um lindo avião

Dançarino do horizonte

Deixei atrás de mim vários ontens

Não sei como cresci

Ou até se comi o algodão doce das nuvens

Dos sóis que percorri

Ou do chão

Se um dia novo nasceu para mim

No rasto de um lindo avião

Isso é história que não conto

De um dançarino no chão

Com os olhos no avião

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal