Todas as cores dos olhos

Era nos olhos de todas as cores

Que morava o feitiço

Que se sabia que “um poeta tem olhos de água”

Para reflectir “todas as cores”

E todas as dores

Num feixe gordo, roliço

E é na forma, feitio e proporção exacta

Dos olhos de todas as manhãs

Que vê o dia

Mas se perde a data

Enviar um comentário