Cálculos e demoras

Quero uma prenda nos meus anos
Um relógio para ver as horas
E calcular as demoras
Quero também uma sala cheia de gente
E de versos
De ilusões e poemas
De mãos e braços e nuvens de algodão doce
Uma festa assim tipo Natal precoce
Quero também uma janela
Com vista directa para a Lua
E passagem pela rua
Ou não! Quero antes um pôr-do-sol
Vermelho rosa
Daqueles que me põe relaxado e mole
Quero aquela bebida fresca banhada em gelo
E um livro novo, ainda no prelo
Quero tudo
Mas...
Como os meus anos estão longe
Quero tudo já hoje
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal