Assobio

Esta sensação estranha
Esta ansiedade que se entranha
Esta luta interior
Este frio na raia do calor
Esta sensação estranha de ser
Esta sensação de perder antes de ter
Esta sensação antecipada de vazio
Esta sensação de que depois de amanhã
Não haverá mais manhã
Esta sensação estranha de que os gritos de outros
Calarão o meu assobio
Esta sensação estranha de marioneta nos teus braços
Ou de derreter nos teus abraços
Esta sensação estranha
De reservar um lugar
Para quem não pode estacionar
É isso mesmo
Uma sensação estranha
Mas que se entranha
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal