A tua construção

Abres os braços
Cerras os dedos
Destróis
E arruínas os meus medos
É de aço o teu peito
É de veludo o meu jeito
Muralha de pedra
Ao jeito da mão
Tijolo de mel
No cantinho do coração
Enviar um comentário