Curtas Frias (II)

Pensava que branca era
E neve que caíra no teu cabelo
Mas era o tempo
A penteá-lo com desvelo
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal