cegar e não querer ver


cegam-me os olhos de não te ver
cega-me o destino de te perder
cega-me o desejo de te procurar
cega-me a cegueira de te amar
cega-se o tempo de se gastar
cega-se o caminho para te encontrar
cega-se o relógio no meu pulso
cega-se a hora do impulso
cega-se o cego que não quer ver
cega-se a vida se te perder
Foto: Raul Cordeiro, Bragança (Agosto, 2009)
Enviar um comentário