TEOREMA


O teu segredo não é mais segredo
Mas sim um fruto maduro do medo

Sabes que não sou mais que um precipício

Um intervalo, um corte na fita de cinema

Um actor de fingir no lugar de outro

Ou outro no meu

O teu apagado teorema

Uma peça de museu

Esse segredo não é mais segredo

Mostrou-o o vento norte

Ao pensamento é à morte

À luz e à sorte

Não sou mais um segredo

Uma vaga luz

Ou caduceu

Sou eu…
Foto: Red vs Black - Paulo Abreu (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário