CAVALOS


Não se é tarde
Mas nasce à minha volta um oceano
E compõe-se outro ano
São músculos e braços e mãos
Não sei se me felicitam
Se me incitam
Se me dão rotundos nãos
Sei apenas que sou navegador
Que sei o rumo e mantenho o prumo
Que não me pára a dor
Nem o lume ou o fumo
É neste mar velho que velejo
Que olho um povo e deposito um beijo
Foi deste mar que se esticou uma nação
É neste mar que pouso a minha mão
E este mar que acalma os cavalos
Que tenho no coração

Foto: Double Speed - cachapa (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário