Não é um grande amor que constrói poemas


Não é um grande amor que constrói poemas
Mas um grande poeta que faz nascer amores
Não é justo ser poeta sem dilemas
Não é justo ser poeta sem dores
É no seco e árido terreiro
Que nascem rosas e florescem espinhos
Um poeta rega as rosas
Mostra-lhes infinitos caminhos
Não é um grande amor que constrói poemas
Mas quem o ama 
Quem lhe afaga os espinhos e as flores
Mas um grande poeta pode fazer nascer amores
Foto: A ponte do poeta. - jorge roque (olhares.aeiou.pt)
 

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal