IDEIAS OCAS

Era a tarde do dia e os olhos não abriam
Fechados, molhados, rasos de saudade
De longe, muito longe seguiam
O rasto luminoso da verdade

Era a tarde daquele dia, os olhos fechavam
A voz embargava palavras atrás de outras
Certas, eruditas demoravam
Em folhas alvas do vento rotas

Era a tarde mais entardecida do dia
De um dia sem tarde 
Um dia de tarde fugidia
Um dia de manhã e noite de verdade

Era um dia de tarde sem palavras
De vãs e loucas
Dia de tarde sem lavras
Tarde de um dia de ideias ocas

Enviar um comentário