O TEU BANCO DE JARDIM


Estará por aí à mão o banco de jardim
Onde está?
Que não aparece nas imagens
Onde está quando preciso?
Descansar das minhas viagens
Podes ao menos mostrar-me 
A sombra que faz a árvore
Ou o rio dessas paisagens
Há pedras no caminho?
Há espinhos nas roseiras?
Magoarei os pés se caminhar sózinho?
Permite esse quintal brincadeiras?
Sabes disso ou apenas esperas descanso?
E que o sentido oculto das coisas
Te dê esse sono manso?
Mudas as paredes e os quadros?
Mudas apenas o corpo?
Deixas ficar os braços  e os ouvidos
Ansiosos por um piropo?
Muda os quadros e as paredes
Muda o corpo e a alma
Muda o jardim e a roseira
Muda o tudo e o nada
Esse capim e esse aroma
Mas deixa o banco e a floreira
Deixa a árvore e a sombra


Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal