O FIM DE UM ANO


O fim de um ano
É assim uma coisa esquisita
Porque na verdade não acaba nada
E continua tudo outra vez e outra vez
Muda o dia e a semana
Justifica um trabalho sem fim
Um espaço fútil
Um amor inútil
Uma poesia não tem anos
Apenas passa por eles
Não quer nada de presente
Mas sim de futuro
Escolhe um fruto maduro
Por isso é mais difícil escolher um ano
Do que uma poesia
Porque…
Um ano acaba e outro começa
Poeticamente no outro dia

Foto: Fogo de Artificio - Sara Pinheiro (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário