OUTROS LADOS DOS RIOS

Abandonei-me do outro lado do meu rio
Fiz figas que não fosse verdade
Pedi que fosse apenas um beijo
Pedi que fosse delírio de desejo
Não vi partir o barco
Nem cheguei a por a flecha no arco
Fiz-me forte ou fraco
Transparente ou opaco
Deixei feliz as velas ao vento
Livres à espera do momento
À espera do toque
Do misterioso retoque
Que um dia ao alvorar
As leve de volta ao mar


Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal