DOCE SAFADEZA


Bate, bate e não desiste
A neblina da manhã nos meus olhos

Serei eu mesmo o teu anel

Serás tu o meu papel

Serei eu mesmo teu

Serei eu teu fel?

Serei...

Biologia...

A mais pura natureza

E em cada olhar que faísca com o meu

E quebra a minha fortaleza

E cada vez que as minhas mãos te dobram

Serei o florete de espachim

Que te fura o coração

E te expõe a nudeza

Serei...

Serei?

Serei mesmo?

A tua doce safadeza?
Foto: body to body - rattus (olhares.aeiou.pt)


Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal