PURA ILUSÃO


Foi mentira e pura ilusão dos sentidos
Não tranquei a porta de entrada
Nem acendi as velas
Decidir ir dormir
Vi…
Luzes amarelas
A escuridão do ocaso nas agulhas de pinheiro
Embriaguei-me primeiro
Com a tua voz na entrada
Com o cheiro da tua chegada

Foto: RAPHAELA AMARELA - Malu Ravagnani (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal