A GEOMETRIA DE UM POEMA


Por mais que te ame
E que sejas meu lema
Não caberá o meu amor
Na geometria de um poema
Será impossível
Encolher as letras e as frases
Esconder que apenas um poema mente
Será dificil
Continuar ingénuo adolescente
Quero-me homem aceso e maduro
Impermeável à chuva do futuro
Quero-te sempre princesa
Rosto em tom de aguarela
Reflexo eterno da minha janela
Impossível olhar-te
Sem abrir a boca de espanto
Sem revelar os meus segredos
À custa das unhas e dos dedos

Foto: s/t - TIAGOXAVIER (olhares.aeiou.pt)

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal