O RUMO DAS BORBOLETAS


Dança comigo até ao fim desse amor

Traz-me som dos campos de violetas

Faz-me sentir doce pelo teu sabor

Mantém-me ao corrente do rumo das borboletas

Faz-me curvar perante as tuas ranhuras mágicas

Como uma flor se curva ao vento

Agita em mim o som das guitarras

Faz sorrir, gritar e cantar

Beija-me como um clarinete nos lábios

Alimenta o som do canto da cigarra

Sente os meus passos na tua magia

Canta-me suave, diz o meu nome

Canta-me uma melodia lisa, mesmo sombria

Ensina o meu segredo à tua melodia

Foto: Windsurfing floral - Leon Bojarczuk (olhares.aeiou.pt)

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal