RIOS



Há um rio pleno de sonhos debaixo da rua da minha casa
Há um rio pleno de sonhos numa cidade onde nunca fiquei
Há um sonho pleno de rios onde o mar se atrasa
Há um mar pleno de sonhos que no rio deixei
Há um rio pleno de sonhos a quem chamo meu irmão
Há um rio pleno de sonhos onde afogo a tristeza
Há um rio debaixo dos meus pés, abaixo do meu chão
Há um rio pleno de sonhos por quem o mar reza


Foto: Curvas - José António Almeida Calvinho (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal