DEMORA

Uso somente poucas palavras
Neste verso ao feito ao relento
Podem faltar para dizer amar
E acordar na lua cheia do esquecimento
Sou verde agora
Sigo a morte diária súbita do sol
Sigo a rajada incontável da minha veia
Não perco por nada esta demora

Foto: Maresias... #21 - Tiago Canhoto (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário