DELÍRIOS CURTOS (VII)


Não...
Não é verdade que seja só coincidência
Mas tentei e fiz-te poema
Mesmo na tua ausência
Sim...
Não é mentira
Que não escrevo e perco as linhas
E que a minha mão transpira
Foto: U - paulo viana (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal