PÁSSARO DE ÁGUAS DOCES



Nos dias distantes, quando cada dia era mais longo

O medo caiu sobre mim e o medo foi forte

Antes que eu tivesse aprendido a recompensa da canção

Nos dias escuros tremi (sabia!) de sorte

Os perigos, perplexidade - o que posso encontrar?

O arco-íris no seu céu de sonho

E na noite, muitas estrelas a fascinar

Coisas escuras inalteradas na luz de dia

Como se de noite de luar fosse

Mar de estrelas como um lago onde amei na chuva doce

Um dia lá vi um pássaro, um tordo negro elegante

Sabia onde ele andou, tal como ele sabia de cor

Silencioso, ele foi, e ainda pareceu cantar

Canções de crianças e Primaveras de amor


Era um pássaro das águas doces que eu conhecia

Foi profundo e doce como uma canção

Que veio da névoa da manhã tardia

Não posso imaginar - a que distância, ele voou em vão

Pois sei que voltará às minhas águas doces

Numa tarde de Verão

Foto: Notas soltas... RAPHAEL o pensativo (olhares.aeiou.pt)

Enviar um comentário