RIACHOS DE MAR DA (minha) INCERTEZA


Nas águas sem sono, solitárias
Mas turquesa das tuas imagens
Nas ondas de rodopios selvagens
Caiem as minhas lágrimas de tristeza
Carregadas de mentiras piedosas
Congeladas e mortas
Pelo magneto da tua beleza
Atraídas pelo teu peito ardente
E logo se evaporam de repente
Correm os riachos de mar da incerteza
E num mar de lágrimas em coro
De dois olhos a cair
Com mais rapidez com que as choro
Teu amor se vai esvair

Foto:Não entrarei por enquanto... - Mariah (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário