A GUERRA DE AMAR


Guerra de amar é meu mundo

Num porto de abrigo em ti

Sinto falta de mim

Num desejo de amor profundo

Por vezes frio e distante dos teus olhos

Mas presente nas palavras da tua boca

Correrei para teus braços se me chamares

Correrei uma correria louca

Respirarei ofegante meu desejo

Posarei para ti os meus olhos

Esperarei de olhos fechados teu beijo

E nem que seja só

Num instante de madrugada

Farei de ti

A mulher mais amada

Foto: "Segredo" - Guilherme Santos (olhares.aeiou.pt)

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal