DIAS TRISTES


Em cada manhã

De dias enrugados de Inverno

De naturezas nobres

De céus cor de maçã podre

De um dia sombrio

De todo o insalubre céu

Escuro, firme e nobre

E por cima de caminhos escurecidos

Do nosso espírito escuro e vadio

Tal como a Lua esconde o Sol

Em noite de eclipse

Nem sentimos simplesmente essas essências

Nem transpiramos nas noites de estio

Mas sussurramos ao relento

As nossas reminiscências

E deixamos que sejam levadas

Docemente pelo vento

Foto: Beautiful dream - Pedro Moreira (olhares.aeiou.pt)

1 comentário

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal