NAS MEMÓRIAS DO NOSSO FUTURO


Carregamos em nós a nossa memória
Sentimos a nossa própria dor
Contamos em nós a nossa história
Somos do nosso presente, o próprio autor
Vivemos em nós o nosso discurso
Erguemos a nossa voz
Gritamos o nosso percurso
Enquanto o futuro chega veloz
Corre veloz à nossa frente
Quase impossível de alcançar
Quando quase lhe passamos rente
Está novamente o passado a chegar
E assim nesta dança de tempos verbais
Ao ritmo de um pretérito sempre imperfeito
Passado, presente e futuro
Vivem em choque constante
Sem qualquer preconceito.



Foto: Chamo-te - Maria José Amorim (olhares.aeiou.pt)
2 comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal