A ONDA DO MEU MAR


O rastejo do mar cinzento
Na infinidade que se vislumbra
Esconde segredos nas conchas
Esconde segredos na penumbra
E no sibilar de uma onda
Numa maré gelada de tundra
Corre para a praia ombro no ombro
Treme de espuma redonda
Nos movimentos que ensaia e desfia
É da praia a sonda
Numa triste alegria.

Foto: Costa...Jacinto Policarpo (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal