VOZES AO VENTO


Palavras de dentro de mim,
são as vozes ao vento
Os ecos nos teus ouvidos,
são as vozes do vento.
Tu no meu pensamento,
é a minha voz no vento
A poesia que escrevo para ti,
são como vozes ao vento.
As memórias que se apagam,
são as vozes e o vento.
Contar-te o meu sentimento,
é como as vozes no vento.
Quando morro assim para ti,
vou com as vozes no vento.

Foto: O Triste Outono de Tatiana... - Carlos Sillero (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal