VESTIDA DE NOIVA PELA GEADA DA NOITE


Amanheceu gélida a noite
Vestida de noiva pela geada
No nevoeiro suave se esconde
Num jogo pueril de escondidas
O alvor da madrugada
Nas nuvens negras saltitantes
Uma tempestade põe-se à espreita
Do momento de explodir
E agitar a manhã
Que impotente a aceita
Molha-se a vida na terra
Num salpico gigante e feroz
Esconde-se a água na terra firme
Apaga a luz do Sol
E a nós falta-nos a voz.

Foto: Desert Rose - Graça Loureiro (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal