PALAVRAS INVENTADAS



Á espera da manhã adormeço em ti
Deixo-me levar no sabor do teu sonho
Estremunhado acordo ao raiar do dia
Esfrego os olhos

Enquanto me recomponho
Noite de glória para este amor eterno
Breves os momentos em que dormi

Olhar-te toda a noite nesse doce dormir
E delirar por uma manhã de Sol
De um novo dia para vir
São fantasias do meu escrever
Palavra inventada mais que pensada
De um amor por viver
De uma vida não inventada
Doce desejo de paixão
Que escapam velozes da mão
De alguém que quase nada.


Foto: Time & Again - Alba Luna (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário