OS MALES DO CORAÇÃO


Sons de um silêncio tardio
Ecoam nas noites de frio
Qual brisa do rio que passa
Pela nossa felicidade
É de pedra a sua idade
Como o poema da vida
Feito de palavras e magia
Irei por esse rio algum dia
Pelas margens à procura
De uma liberdade madura
Qual brisa que sara e cura
Num amor de saudade
Na poesia da verdade
E em momentos de paixão
Os males do coração.

Foto: Leticia - Marcio Freitas (olhares.aeiou.com)
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal