O MAR DO MEU NAVEGAR


Olhamos um para o outro
Nem precisamos de o dizer
Que nosso amor existe em nós
E está longe de anoitecer

Bem juntos deliramos
Pelos nossos sonhos a dois
Nos momentos que passámos
Nos revezes que vivemos
Aprendemos a amar-nos
Apesar do que sofremos

Nestas palavras escrevo
O amor que tenho por ti
És a luz que ilumina
O caminho que persegui

És a brisa que respiro
És o vento que me agita
És a alegria que me contagia
Meu amor por ti é a desdita

És a beleza do meu dia
És a palavra que não escrevo
És a frase que não digo
Sem ti o tempo morre
Quero estar sempre contigo

És a esperança que me conduz
És o mar do meu navegar
As tempestades da vida
Não me impedirão de te amar.

Foto: Tranquilidade - David Sousa (olhares.aeiou.pt)
2 comentários

Mensagens populares deste blogue

POEMA DE INDECISÃO

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

Natal