LOUCA FANTASIA DESPIDA DE CETIM


Oh louca fantasia despida de cetim
Me levas nos teus encantos de sereia
Apanho as ondas do meu amor eterno
E desvaneço sem tino em plena areia

Neste vida qual dura tempestade
És para mim a tábua de salvação
Queria ter-te ao meu lado na praia
Para reanimares meu triste coração

Oh eterna e vã saudade maldita
Que me atormentas e ajuízas amiúde
Deixa-me descansar calmamente neste fino pó

Oh vida pautada pela desdita
Nestes grãos de areia encontrei saúde
É escusado que de mim tenham dó
Foto: s/título - Geoffroy Demarquet (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal