TÃO PERTO E TÃO DISTANTE...



Tão preso
Tão liberto
Tão calado
Tão falante
Tão namorado
Tão amante
Tão perto e tão distante
Me sinto de ti e de mim
Quando não estás estou só
Díficil viver assim
Tão triste
Tão alegre
Tão pobre
Tão rico
Tão povo e tão nobre
Me sinto perto de ti
Quando me fixas com o teu olhar
E me deixas de rastos
A olhar para o teu andar
Tão vivo
Tão morto
Tão são
Tão doente
Tão frio e tão quente
Quando pões a mão na minha
Acaricias lentamente
E me dizes com meiguice
Amo-te…
Tão apaixonado por ti…

Foto: Voo ao entardecer - Luís Lobo Henriques (olhares.aeiou.pt)
Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal