NÃO TENHO JEITO PARA DIZER PALAVRAS PARA AMAR



Não tenho jeito para dizer palavras para amar
Mas oiço-as a todo o instante
Vindas da tua boca
Não tenho jeito
Nem tão pouco para as pensar
Podes estar a delirar, delírios sãos de amar
Delírios com sabor a mel ou a fel
São perigosos esses delírios
Quando pensamos muito neles
Quando os temos à flor da pele
Querem saltar a todo o instante
E com toda a incerteza
São constantemente estimulados
Como se comandassem a nossa mente
Em momentos de fraqueza
Sãos de espírito os que amam alguém
Ainda que delirantes
É mais são um delírio assim
Contigo bem perto de mim
Do que não amar ninguém

Foto: Elfa - Cristye (olhares.aeiou.pt)
3 comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal