ESPERO-TE PELA MADRUGADA



A noite perguntou ao dia
Meio a sério meio a brincar
Porque te vais embora agora
Porque me deixas a chorar

Não tenho culpa que a chuva
Chegue para te aconchegar
Não era minha intenção
Deixar-te assim a chorar

Levas o Sol contigo
Deixas-me na escuridão de mim
Como posso assim sozinha
Passar este tempo sem fim

Voltarei pela madrugada
Bem fresco e airoso
Quando estiveres de partida
Será mais bonançoso

Vai, vai e não demores
Serei pouco animada
Volta cedo, bem cedinho
Espero-te pela madrugada

Foto: Ariana - Marcio Freitas (olhares.aeiou.pt)
2 comentários

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal