ESCONDERIJO DAS PALAVRAS


Escondo-me atrás de mim
Não queiras saber quem sou
Nem donde venho
Nem para onde vou
Digo-te que me sinto bem assim
Sinto-me bem como estou
Seria talvez tremenda desilusão
Quereres e saberes quem sou
Sou um simples humano mortal
Que vive a vida a dar vidas
Às muitas palavras sem sentido
Às muitas palavras perdidas
Tal ninguém pode levar a mal

Foto: As faces da Lua - Heliz (olhares.aeiou.pt)

1 comentário

Mensagens populares deste blogue

ESPERA MENINA, PELO BARULHO DOS GUIZOS

POEMA DE INDECISÃO

Natal